ÚLTIMAS NOTÍCIAS /

Rede de Proteção apresenta resultados positivos da campanha contra o abuso sexual de crianças e adolescentes

Sexta-feira, 16 de maio de 2014

Visualizada 314 vezes


Rede de Proteção apresenta resultados positivos da campanha contra o abuso sexual de crianças e adolescentes

Da Assessoria

A Rede de Proteção contra o abuso sexual de crianças e adolescentes formada pelo Centro de Referência da Assistência Social (CRAS), pelo Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS),pelo Conselho Municipal dos Direitos da Crianças e do Adolescente (CMDCA), pelo Conselho Tutelar e pela Secretaria de Assistência Social de Assis Chateaubriand apresentaram na manhã desta quinta-feira (15) o resultado da campanha contra o abuso sexual de crianças e adolescentes iniciada em novembro do ano passado. As ações, atividades e os números da Campanha foram apresentados através de uma coletiva com a imprensa na Oficina do Ofício.
De acordo com a secretária de Assistência Social e primeira dama do município, Franciane Micheletto, a campanha “Proteja nossas crianças e adolescentes” iniciou em novembro do ano passado e obteve bons resultados. “A campanha surgiu de uma forma diferenciada, através de uma denúncia, de um relato do Conselho Tutelar, onde apresentou para a Rede de Proteção dados significativos, de muitas denúncias de exploração em um período muito curto de tempo”. Ainda segundo a secretária, a campanha foi pensada de uma forma continuada. “Nosso maior objetivo era deixar as crianças e os adolescentes informados. Realizamos várias reuniões com a Rede de Proteção para assim conseguirmos traçar nossas atividades. Entre as ações, fizemos uma coletiva de lançamento em novembro do ano passado. Na sequência, logo no início do ano letivo surgiu a idéia de realizarmos uma capacitação com a Educação, já que são os professores que passam a maior parte do tempo com os alunos. Realizamos ainda palestra no Colégio Chateaubriandense, na Faculdade Unimeo, para os formandos de Pedagogia. Fizemos ainda entrevistas nas rádios, onde todos os membros da Rede explanaram a função de cada um. Ainda como forma de comunicação fizemos outdoors, faixas de lonas, panfletos e adesivos, onde confeccionamos um adesivo para cada criança da rede municipal e também particular para que elas colem no caderno e assim fiquem com o número ‘Disque 100’ a vista e lembrem toda vez que algo acontecer”.

Denúncias
Uma das principais ações da Campanha é divulgar o “Disque 100”, onde a criança ou o adolescente pode estar fazendo a denúncia contra o agressor. Segundo o coordenador do CREAS, Pastor Roberto Cosme dos Santos, essa campanha serve também como alerta para a população. “Nesse primeiro semestre de 2014, nós tivemos 40 casos de violência sendo 24 em adolescentes e 16 em crianças. A violência sexual teve 28 casos, a física seis casos, cinco casos de violência psicológica e um caso de negligência. A realidade de Assis Chateaubriand, não é diferente da realidade estadual, nem nacional”. Ainda para o coordenador do CREAS, é através do Centro Especializado que se faz o acompanhamento desses casos. “É incumbência do CREAS estar acompanhando esses casos. A denúncia chega é feita então uma visita a família, não é uma visita investigativa, mas sim como forma de acompanhar”.
Para o presidente do Conselho Tutelar, Aparecido Adilson Ramos Alves, a campanha surgiu através de uma denúncia e por isso é importante reforçar aos alunos, crianças e adolescentes a importância de realizar a denúncia. “Um caso que nos chamou muita atenção, foi de uma criança que nos abordou em uma escola um dia e nos relatou que já havia pedido ajuda a mãe, aos tios, ao irmão e ninguém tomava nenhuma providência, foi aí que percebemos que algo estava errado, que a família negligenciou o caso. Após o início da Campanha percebemos uma drástica redução no número de casos de violência. Hoje se recebemos duas ou três ligações por mês, é muito. Acreditamos que esse trabalho que está sendo realizado, está surtindo um efeito excepcional, mas não podemos parar”.

Investigação
Um dos pontos ressaltados na coletiva foi em relação à investigação, onde não é função de nenhum órgão da Rede investigar e sim da própria Polícia. “ O papel de investigação desses casos é da Polícia Civil e do Ministério Público. O papel dos equipamentos da Secretaria de Assistência Social, principalmente do CREAS, é atender essas famílias, romper com o ciclo de violência dessa criança, para que a partir daí essa criança possa voltar a viver de forma normal. Não é papel do CREAS e nem do Conselho Tutelar investigar e punir o agressor. O papel deles é dar o suporte para reestruturação social e familiar da vítima”, afirmou a conselheira do Conselho Municipal da Criança e Adolescente (CMDCA), Janaína Franzolin.

Apoio psicológico
A criança ou adolescente vítima de qualquer uma dessas violências, recebe do CRAS todo o apoio psicológico, com atividades e terapias para que ela consiga a curto espaço de tempo restabelecer um vínculo familiar novamente. “Os traumas são muitos. Talvez essa criança vá aprender a dar um novo significativo a vida dela. A lembrança do que aconteceu ela vai ter sempre na mente, mas os mecanismos de defesa dela, vai direcionar para que ela transfira para outra esfera da vida, mas realmente ela vai precisar de um acompanhamento. A família toda é trabalhada, de forma que essa família não fique desamparada em nenhum momento”, afirmou a psicóloga do CRAS, Silvana Alves Cássia.
No próximo ano, 2015, a Campanha deve ser levada à rede estadual de Ensino também.

 Galeria de Fotos

 Outras Notícias

HORÁRIO DE ATENDIMENTO: Segunda à Sexta-Feira, das 08:00 às 12:00 - 13:30 às 17:30. CANAL DE ATENDIMENTO: Disque 156!

Última atualização do site:   //